sábado, 5 de agosto de 2017

DESENHOS DE 2016



 Cassiano Pereira Nunes
Sombras quentes, 2016
Grafite s/ papel


Cassiano Pereira Nunes
Arvoredo III, 2016
Grafite s/ papel


Cassiano Pereira Nunes
Lá fora o verde, 2016
Grafite s/ papel


Cassiano Pereira Nunes
A vida é uma sombra, 2016
Grafite s/ papel

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Do caderno CARTOGRAFIA AFETIVA 3


Cassiano Pereira Nunes
Rio Itanhaém-abril
Aquarela s/ papel
25 x17cm-pag.025-26


Cassiano Pereira Nunes
Parque I
Aquarelas/papel
25 x17cm-pag.029-30


Cassiano Pereira Nunes
Jardim Botânico em novembro
Aquarelas/papel
25 x17cm-pag.027-28


quarta-feira, 28 de junho de 2017

4o SALÃO DE OUTONO DA AMÉRICA LATINA


Realizado na Galeria Marta Traba - Memorial da América Latina em São Paulo, Brasil, de 05 de maio a 5 de junho de 2016.
Participei com duas série s de desenhos Árvores água  e Árvores cidade cada uma com seis desenhos.


Árvores água     
Composto de seis desenhos em grafite s/ papel de 17 x 21 cm cada um



Ao longe-Porto Seguro, 2015


Vento leve, 2015


Claridade da tarde, 2015


Silêncio translúcido, 2015


Dias transparentes, 2015


Parque em outubro, 2015


Árvores cidade    
 Composto de seis desenhos em grafite s/ papel de 17 x 21 cm cada um



Praça-tarde, 2014


Rua-manhã, 2014


Parque, sexta feira-manhã, 2014


Quase tarde, 2014


Meio da tarde, 2014


Tarde rotineira, 2015




domingo, 25 de junho de 2017

Do Caderno CARTOGRAFIA AFETIVA 2



Cassiano Pereira Nunes
Parque II março
Aquarela s/ papel
25 x 17 cm - pag. 031


Cassiano Pereira Nunes
Fim de verão
Aquarela s/ papel
25 x 17 cm - pag. 035


sábado, 24 de junho de 2017

DESENHOS DE 2017



Cassiano Pereira Nunes
Ponta Negra, 2017
Grafite s/ papel,
21,5 x 13 cm


Cassiano Pereira Nunes
Antes de uma chuva, 2017
Grafite e lápis de cor s/ papel
21,5 x 13,3 cm


Cassiano Pereira Nunes
Antes de outra chuva, 2017
Grafite e lápis de cor s/ papel
13,4 x 21,5 cm


sexta-feira, 23 de junho de 2017

EXPOSIÇÕES EM ARACAJU E SALVADOR


A exposição Aquarelas ABA 2016 foi realizada na Galeria de Arte Álvaro Santos  em Aracaju, Brasil, e 15 de abril a 14 de maio de 2016.

A exposição em Salvador, Traduzindo os Sonhos, aconteceu no Centro Cultural Solar Ferrão em Salvador, Brasil de 02 a 30 de setembro 2016.

Os trabalhos expostos foram


Cassiano Pereira Nunes
Veredas I, 2015
Aquarela s/ papel,
46,5 x 31 cm


Cassiano Pereira Nunes
Veredas II, 2015
Aquarela s/ papel,
46,3 x 31 cm


quinta-feira, 22 de junho de 2017

2o SALÃO DE AQUARELAS PIRACICABA


A Pinacoteca Municipal "Miguel Dutra" de Piracicaba, Brasil, realizou  de  01 de abril a 1o de maio de 2016 o 2o Salão de Aquarelas Piracicaba.  

Participei com  este trabalho.

Cassiano Pereira Nunes
Linha da vida, 2015
Aquarela s/ papel,
49,8 x 35 cm


quarta-feira, 21 de junho de 2017

EXPOSIÇÃO 94 ANOS DA SEMANA DE ARTE MODERNA DE 22


Coletiva realizada na Galeria PontoArt em  São Paulo, Brasil , de 18 de fevereiro a 05 de março de 2016. 

Pintura exibida

 Cassiano Pereira Nunes
Dia de Outono, 2015
Óleo s/ tela,
40 x 30 cm


terça-feira, 20 de junho de 2017

ALGUNS DESENHOS


Cassiano Pereira Nunes
Tarde abafada, 2015
grafite s/ papel


Cassiano Pereira Nunes
Árvores alheias, 2015
grafite s/ papel


Cassiano Pereira Nunes
Arrabalde 1, 2015
grafite s/ papel


Cassiano Pereira Nunes
Parque em outubro, 2015
grafite s/ papel


domingo, 27 de março de 2016

DOIS OLHARES - Vestígios do Acaso


A exposição individual simultânea com Ivone Beltran, Dois olhares, realizada na Galeria PontoArt em São Paulo, de 22 de outubro a 14 de novembro de 2015, contava com dezesseis pinturas em aquarela. A curadoria foi de Alexandre Lopes, cujo texto de apresentação está reproduzido abaixo.

A montagem





A abertura da exposição









































O texto do curador Alexandre Lopes
Vestígios do acaso

Estar diante de um trabalho do artista Cassiano Pereira Nunes é como ouvir um murmúrio vindo dos lábios do poeta Manuel de Barros nos dizendo: Eu queria fazer parte das árvores como os pássaros fazem...
Na sua mostra Vestígios do Acaso o artista compartilha com o público fragmentos de momentos colhidos durante os seus dias, encontros com a natureza seja aqui na cidade onde reside, São Paulo, ou pelo mundo afora.
As árvores surgem em seu repertório imagético em 2008, primeiro como uma fração das paisagens que representava em seus trabalhos, depois essas foram se tornando ao longo do tempo cada vez mais evidentes, até transformarem-se em personagens principais de sua obra, não apenas como um objeto, mas também sendo o motivo para expressão na criação de suas aquarelas.
O artista em suas andanças se depara e se detém diante da beleza, delicadeza, tenacidade e força das formas que encontra na natureza transportando-as para sua obra, orquestrando assim com as nuances cromáticas, as luzes, a água e os vapores que vão compondo suas árvores.
De uma paleta de cores refinada, matizes mais fechados com notas tonais que se aproximam do calor em alguns momentos, o artista parece nos oferecer uma gama de combinações afetivas.
Cassiano não opera apenas com aquilo que se materializa diante dos nossos olhos, afinal o olho vê o mundo em fluxo, e a obra de arte talvez seja uma tentativa de reter esse fluxo, de capturá-lo dentro de um espaço e devolvê-lo ao mundo com toda potencialidade emocional contida em si, como se houvesse um embate entre a realidade interior que luta para se concretizar na realidade exterior.
Leitor voraz de escritores como Lygia Fagundes Telles, Érico Veríssimo, o israelense Amós Oz, entre outros, assíduo expectador de cinema, apreciador de grandes diretores, Cassiano consegue trazer estas paixões e influências para suas aquarelas, por vezes se servindo da atmosfera impregnada nesses trabalhos para suas composições. Temas e personagens ecoam dessas linguagens como em A noite, titulo do filme de Michelangelo Antonioni que também nomeia mais de uma de suas obras presentes nessa mostra.
Diante das suas árvores o artista não apenas nos convida para um espetáculo a ser admirado, mas para uma experiência a ser vivida. Em consonância com a poesia de Keats sua arte reverbera e nos devolve a ideia do poeta romântico onde, Tudo o que é belo é uma alegria para sempre.

Alguns pinturas expostas

Cassiano Pereira Nunes
Ilha, 2013
aquarela s/ papel, 35 x 25 cm


Cassiano Pereira Nunes
Noite próxima, 2014
aquarela s/ papel, 45 x 38,2 cm


Cassiano Pereira Nunes
Rota da manhã, 2014
aquarela s/ papel, 44 x 34,5 cm


Cassiano Pereira Nunes
Praça VI, 2014
aquarela s/ papel, 36 x 36 cm


Cassiano Pereira Nunes
A noite III, 2014
aquarela s/ papel, 69 x 49,8 cm


Cassiano Pereira Nunes
Praça VIII, 2014
aquarela s/ papel, 37,3 x 49,9 cm


Cassiano Pereira Nunes
Adágio, 2015
aquarela s/ papel, 49,8 x 35 cm